Por força da emenda constitucional número 20 que, em dezembro de 1998, determinou a separação dos organismos oficiais de seguridade em duas categorias – uma destinada a prover aposentadorias, pensões e outros benefícios previdenciários; e outra para prestar serviços de saúde, foi criado o ICS – Instituto Curitiba de Saúde, cuja função é estabelecer um novo modelo de gestão para a saúde do funcionalismo do município de Curitiba.

Dessa forma, em 27 de julho de 1999 foi publicada a lei 9.626, sancionada pelo prefeito Cássio Taniguchi, que tirou do IPMC a dupla responsabilidade que vinha exercendo, criando o ICS e transferindo para ele as incumbências relativas à saúde a partir de 1º de janeiro de 2000.

Após essa data, os servidores municipais de Curitiba passaram a contam com um modelo próprio de assistência à saúde. O  funcionamento do Instituto Curitiba de Saúde  garante atendimento de qualidade e eficácia aos seus segurados desde a sua constituição, mantendo sempre o dinamismo nos serviços ofertados para acompanhar a evolução do mercado de saúde e, também cumprir, com esmero, o exigido pela Agência Nacional de Saúde Suplementar – ANS. Órgão regulamentador dos planos de saúde.

A Contribuição dos servidores municipais de Curitiba permanece inalterada, sendo portanto de 8,8% dos quais 64,32% destinados a previdência e 35,68% para assistência.

O ICS – Instituto Curitiba de Saúde, nasceu com o propósito de se transformar em pouco tempo no modelo ideal de gestão de saúde, uma entidade preocupada em administrar, controlar e gerir a saúde de seus beneficiários.