Nesse aspecto nada mudou. A coparticipação ou fator moderador é de importância fundamental para a sustentabilidade do ICS e será mantida. O fator moderador e continuará sendo cobrado, exclusivamente, sobre os atendimentos ambulatoriais e emergenciais, que corresponde a 30% do valor pago pelo ICS ao prestador de serviços. Os demais 70% desse valor, são absorvidos pelo Instituto.