ICS busca a modernização para atender beneficiários do plano de saúde

Servidores com doenças crônicas têm atendimento especial no ICS. Foto: Divulgação

Para atender de forma satisfatória e com bom custo-benefício os atuais 77 mil beneficiários do plano de saúde dos servidores da Prefeitura, o Instituto Curitiba de Saúde (ICS) investiu em diversas alternativas para manter o plano dentro do que é exigido pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) e suprir as expectativas dos servidores curitibanos e dos seus dependentes.

Atualmente, 84% dos 45.800 servidores ativos, aposentados e pensionistas têm algum dos planos de saúde do ICS para si e para familiares próximos. Os beneficiários contam com atendimento médico, hospitalar com obstetrícia e odontológico.

A pandemia pelo novo coronavírus, em 2020, exigiu decisões rápidas e adequadas para ajustar o plano às necessidades sanitárias impostas. Seguindo os protocolos de saúde, o ICS ofereceu uma série de facilidades, pensando na segurança e na proteção dos seus beneficiários, já que 30% são pessoas acima dos 60 anos de idade, e também dos funcionários do Instituto.

Entre as medidas adotadas estão o teleatendimento exclusivo para consultas, a entrega de receitas on-line, o contato direto com os beneficiários acima de 60 anos por telefone para verificar seu estado de saúde.

Com a suspensão do atendimento no Centro de Saúde por cinco meses, houve isenção da coparticipação em toda a rede credenciada, nas especialidades médicas atendidas no Rebouças. As gestantes puderam seguir com tranquilidade o seu pré-natal, pois mantiveram o contato direto com o seu médico.

Novos beneficiários

O plano de saúde dedicado aos servidores e aos seus dependentes recebeu novos beneficiários. Durante a gestão, 21 novos planos, todos autorizados pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), passaram a ser oferecidos, a partir de 2018.

Os empregados públicos – agentes comunitários de saúde e agentes de combate às endemias – passaram a ter direito ao benefício. Assim como no caso dos servidores estatutários, eles podem incluir cônjuge e filhos entre os dependentes, mas a adesão não é obrigatória. O empregado tem desconto de 3,9% sobre o vencimento e a Prefeitura paga mais 3,9% ao ICS.

Há outras opções de planos que não têm a participação da Prefeitura na divisão do custo, ou seja, o beneficiário paga separadamente, de acordo com os critérios de idade definidos pela ANS.

Este é o caso dos planos para filhos, netos, genros e noras dos servidores que tenham de 18 a 33 anos, e do Plano Apartamento, nova opção de acomodação oferecida aos servidores e seus dependentes. Os dois planos estavam entre os mais esperados pelos servidores.

“Todos ganham com estas novas possibilidades”, assegura a presidente do Instituto, Dora Pizzatto.

“O custo é bastante competitivo, basta comparar com outros planos de saúde oferecidos no mercado. E o ICS tem ainda a vantagem de contar com uma rede credenciada bastante robusta. É uma das maiores de Curitiba, na modalidade de autogestão”, declara a presidente.

Ela tranquiliza o servidor que já é beneficiário antigo do plano de saúde.

“Para quem já tem o benefício, termos mais pessoas no plano não afeta a qualidade do serviço prestado porque investimos na qualificação técnica de pessoal e capilaridade da rede credenciada. Hoje estamos totalmente estruturados e temos plena capacidade de atendimento para os nossos beneficiários”, completa a presidente do Instituto.

Aplicativo, portal acessível e carteira digital

A modernização do ICS veio também com o aplicativo do Instituto, que já teve mais de 25 mil downloads. O recurso disponível na plataforma Android e iOS permite agendar, remarcar e cancelar consultas, verificar a liberação de exames e cirurgias e também avisa, com 24 horas de antecedência, o horário das consultas marcadas.

O portal do ICS foi reformulado para tornar-se mais acessível ao usuário. A introdução da carteira digital do plano de saúde foi outra novidade. O usuário não precisa mais apresentar o documento de plástico para ser atendido, basta ter o aplicativo para visualizar ali mesmo, pelo celular, o documento digital do ICS.

Para facilitar ainda mais a liberação de guias de exames, o beneficiário já não necessita ir ao ICS pessoalmente para a autorização. Isso pode ser feito por telefone.

“Todas essas funcionalidades são uma tendência no mercado de planos de saúde e uma expectativa do nosso cliente, que é essencialmente o servidor da Prefeitura de Curitiba e seus familiares”, resume Dora Pizzatto.

Economia e novos serviços

A presidente ressalta que muito foi feito durante a gestão para otimizar os recursos do ICS, que completou 20 anos como operadora de saúde em 2019. Ao longo dos últimos quatro anos, toda a estrutura foi reformada em diferentes etapas pela equipe de manutenção do ICS, sob a supervisão do engenheiro do Instituto. A manutenção realizada por equipe própria gerou economia em relação ao custo cobrado no mercado.

A iluminação também foi renovada, com o uso de lâmpadas de LED, que são mais econômicas e iluminam mais. A economia de energia chegou a 18%, após a substituição de toda a iluminação.

Dentre os novos serviços oferecidos está o ambulatório para tratamento de feridas, evitando a hospitalização dos pacientes, e o programa de prevenção e tratamento de câncer de pele com realização de procedimento de crioterapia/criocirurgia.

Outra novidade é o tratamento de a acupuntura feita por fisioterapeuta especializada no Centro de Saúde do ICS, ou seja, sem que o beneficiário tenha que pagar a coparticipação.

A servidora aposentada Íria de Jesus Ferreira, de 64 anos, foi encaminhada pelo ortopedista para o tratamento com a acupuntura por causa de uma bursite no ombro.

“Estou animada e confiante com o tratamento. Gostei muito do atendimento”, disse a servidora Íria, logo depois de uma das primeiras sessões de acupuntura, em fevereiro de 2020.

O ICS dedicou-se ainda à distribuição de forma mais homogênea dos prestadores de serviço da rede credenciada. A rede hospitalar também foi adequada para que, independentemente de onde resida ou trabalhe, o beneficiário tenha acesso fácil aos serviços de saúde que precisar.

4 anos de trabalho
Compartilhe esta notícia: