Saúde da Mulher debate disfunção na mandíbula com servidoras

Saúde da Mulher – Outubro Rosa na regional de Santa Felicidade. Curitiba, 04/10/2019. Foto: Lucilia Guimarães/SMCS

Servidoras das regionais Santa Felicidade e Matriz participaram, na manhã desta sexta-feira (4/10), no auditório da Rua da Cidadania Santa Felicidade, da programação do Saúde da Mulher, programa preparado pelo Departamento de Saúde Ocupacional como parte das comemorações do Outubro Rosa.

“Desta vez, tentamos conciliar um tema relacionado à saúde das mulheres com o Outubro Rosa, quando estamos falando mais da importância da prevenção. O programa da Secretaria de Administração e de Gestão de Pessoal voltado ao público feminino busca justamente a prevenção e o estímulo à autoestima”, explica a coordenadora de programas em Saúde Ocupacional, Marisa Mendes de Souza.

Pela primeira vez, o tema escolhido foi saúde bucal e uma das palestras que mais chamaram a atenção foi sobre a disfunção temporomandibular, alteração que envolve a articulação e o movimento da boca.

“As mulheres, de forma geral, estão sobrecarregadas, com muitas responsabilidades e atividades que levam ao estresse. Muitas vezes, uma dor de cabeça persistente requer a avaliação de um dentista ou de um especialista”, alertou o dentista João Lemes Américo, coordenador da Odontologia do ICS (Instituto Curitiba de Saúde), o plano de saúde dos servidores.

Ele esclareceu que a articulação temporomandibular é uma das principais do corpo humano e que outros sintomas – como dor ou ruído na articulação da face, dificuldades para abrir totalmente a boca, sensação de mordida torta – podem indicar a necessidade de tratamento.

“É muito importante que o dentista faça o diagnóstico. O paciente pode ajudar nisso, se observando, identificando os sintomas para facilitar o diagnóstico”, explica o coordenador do ICS. Ele acrescentou que podem ser necessários alguns exames, como radiografias e ressonâncias.

Tratamento

Dentre as opções para o tratamento estão as placas de mordidas que permitem reposicionar a articulação, a termoterapia, a fisioterapia, medicamentos, a laserterapia, acompanhamento com psicólogo e, em casos mais graves, pode ser indicada a cirurgia.

O cirurgião-dentista explicou que as consultas com o dentista, com o especialista e os casos de cirurgia têm cobertura do ICS, para quem é beneficiário do plano de saúde.

Já as terapias, como as placas de mordidas por exemplo, não são cobertas, conforme a regulamentação da ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar), válida para todos os planos de saúde do país.

Dúvidas

O coordenador da odontologia respondeu a várias dúvidas das servidoras. Ursula Uszacki, que trabalha na Matriz foi uma delas.

“Essa palestra me ajudou muito porque tenho vários sintomas relacionados ao problema da mandíbula. Vou procurar o especialista”, declarou Ursula.

Os outros temas abordados na atividade do Saúde da Mulher foram o tabagismo e o câncer bucal, apresentados pelos dentistas Roberta Fiani Manfrinato e Davi Aires, também do ICS, e qualidade de vida, assunto das profissionais de educação física da Secretaria do Esporte Lazer e Juventude, Simone Cordeiro e Vanessa Adriano.

Os participantes conheceram ainda o Escute seu Coração, programa da Prefeitura que estimula a adoção de um estilo de vida saudável.

Outras edições do programa

A atividade descentralizada do Saúde da Mulher segue neste mês nos dias 11 (Rua da Cidadania Cajuru), 18 (Rua da Cidadania Fazendinha) e 31 de outubro (Rua da Cidadania Tatuquara). Qualquer servidora pode se inscrever pelo portal Aprendere.

Fonte: Prefeitura Municipal de Curitiba

Outubro Rosa
Compartilhe esta notícia: