Programa do ICS identifica pacientes com doenças silenciosas

Quem é beneficiário do Instituto Curitiba de Saúde e tem 45 anos ou mais, vai receber uma ligação no mês em que faz aniversário e será convidado a fazer exames e marcar consulta.

A iniciativa faz parte do Prevencor, que diagnostica precocemente algumas doenças e trabalha na prevenção. Lançado em 2017, o programa já atendeu a cerca de 1.800 pacientes.

Foi o que aconteceu com a educadora social Neusa Fátima Pinto de Oliveira, que completou 49 anos em janeiro, aceitou o convite do ICS e, depois dos exames e da consulta com o médico de referência, decidiu mudar de vida.

“Houve alteração na glicose. Depois da conversa com o médico, resolvi intensificar o exercício físico. Ele se preocupou comigo e foi um incentivador. Agora vou pra academia todos os dias. Em três dias da semana, além da atividade aeróbica, faço o trabalho com um professor (personal trainer)”, conta a servidora que trabalha à noite na Fundação de Ação Social em regime de escala. O horário reservado para as atividades é de manhã, logo depois que ela volta do trabalho.

“Já saio direto. Não marco nenhum compromisso nesse horário. E me orgulho do que consegui fazer em minha vida.” Além do exercício físico, Neusa mudou a alimentação. “Minha disposição mudou pra tudo, não sinto mais cansaço. Descobri que se eu não fizesse pela minha saúde, ninguém iria fazer”. A mudança já apareceu no exame de colesterol. Nos próximos dias, ela vai repetir o exame de glicose para ver se está melhor.

O médico de referência do programa do ICS, o clínico geral Alan Christian Niemies, explica que, ao fazer o diagnóstico precoce, o Prevencor trabalha na prevenção de doenças. “A ideia é evitar que ele seja um paciente crônico. Se identificamos uma alteração num estágio anterior à doença, o paciente vai gastar menos”, diz.

Depois da ligação feita pela equipe do equipe do NAS, o paciente deve fazer os exames numa das 13 unidades do Laboratório de Análises Clínicas A+, em Curitiba. O laboratório é parceiro do ICS nesta iniciativa. Estes exames não têm co-participação.

Doente, mas sem sintomas

“São exames que fazem o rastreamento de doenças que muitas vezes não têm sintomas. Fazemos o diagnóstico inicial de doenças crônicas, como hipertensão, diabetes, dislipidemia (elevação do colesterol ou de triglicerídios). Estas são doenças assintomáticas. Quando identificamos algum paciente, ele é encaminhado para o tratamento adequado. Em alguns casos, pedimos outros exames”, declara o médico Alan Niemies.

Quando é necessário, o beneficiário é encaminhado para especialistas, como cardiologista, endocrinologista, nefrologista e nutricionista que atendem no Centro de Saúde do ICS.

A maior parte das pessoas chamadas são pacientes sadios e não apresentam nenhuma doença. Muitos não fazem qualquer acompanhamento da sua saúde há anos. “Mas há casos em que a pessoa vem para a consulta sem saber e descobre que tem uma doença. No Brasil, cerca de 50% dos que têm diabetes não sabem disso”, declara o médico.

É tempo de achar tempo

Uma das orientações que o médico dá a todos os pacientes é para que modifiquem seu estilo de vida. “Saúde é uma das coisas mais importantes da nossa vida. É preciso ter tempo para cuidar dela”, declara o médico, ao lembrar que é muito comum as pessoas passarem a cuidar depois de uma situação grave.

Todos saem da consulta com recomendações  relativas à alimentação e aos exercícios físicos. Alan Niemies conta que é bem comum que pessoas que se aposentam  relatem que não tinham tempo para a prática de alguma atividade física de forma regular. “Eles dizem: agora vou ter mais tempo para a saúde”, relata o médico.

Alan Niemies recomenda, entretanto,  que as pessoas busquem esse tempo antes da aposentadoria. “Algumas pessoas chegam na aposentadoria tendo que cuidar de doença. Se o paciente dá atenção a isso antes, na hora da aposentadoria ele vai poder viver melhor nesta fase”, diz Alan Niemies.

“A questão não é viver tantos anos, mas viver de maneira saudável. Costumo perguntar: como você pretende chegar à idade mais avançada, com individualidade e independência ou tendo que viver com limitações”, revela.

No caso dos exercícios, a orientação é para que o paciente faça, no mínimo, 150 minutos de atividades físicas aeróbicas de moderada intensidade por semana. Isso equivale a 30 minutos por dia, cinco vezes por semana, por exemplo. “Uma caminhada com fôlego suficiente para conversar com alguém próximo já é o bastante. Não precisa fazer todos os dias. Isso pode ser feito quando a pessoa tem mais tempo”.

Adaptações no dia a dia, como subir de escada em vez de usar o elevador, descer num ponto de ônibus mais distante ou parar o carro mais longe e caminhar 15 minutos também são ótimas escolhas com impacto significativo na saúde a longo prazo, de acordo com Niemies.

Em relação à alimentação, a restrição ao carboidrato de rápida absorção, como o pão de farinha branca ou o arroz branco também é recomendada pelo médico, como ponto inicial de atenção. “Esta pequena mudança, que nem precisa ser feita todos os dias, pode ajudar pacientes que têm alteração no seu colesterol e os que têm diabetes”, exemplifica.

Os pacientes do Prevencor têm acesso facilitado e prioritário com nutricionista, profissional que faz acompanhamento essencial à boa saúde.

Atualize seus dados

Para receber o convite do NAS para o Prevencor, é importante que os dados cadastrais (telefone e endereço) estejam atualizados no sistema do ICS. Para isso, basta entrar em contato com o setor Gestão de Carteiras pelo telefone 3330-6134 ou pessoalmente no andar térreo, ao lado do protocolo e informar os dados corretos.

Quem recebeu o contato do NAS e não fez os exames, pode entrar em contato com o núcleo para solicitar a guia dos exames e o agendamento da consulta. O prazo para fazer o pedido é de três meses após o convite. O telefone do NAS é 3330-6088. O e-mail é nasics@ics.curitiba.pr.gov.br. O NAS fica no subsolo do ICS, na Avenida Marechal Floriano Peixoto, 1895.

Fonte: Prefeitura de Curitiba

Prevencor
Compartilhe esta notícia:
Tags: