Secretaria da Saúde alerta para vacinação contra o sarampo

Secretaria da Saúde alerta para vacinação contra o sarampo. – Na imagem, vacinação na US Ouvidor Pardinho na regional Matriz. Foto: Cesar Brustolin/SMCS.

A Secretaria Municipal da Saúde (SMS) de Curitiba alerta para que as pessoas que não têm ou não sabem se têm o esquema vacinal completo contra o sarampo procurem uma unidade de saúde para se imunizar. A medida é importante neste momento, considerando que São Paulo, estado vizinho ao Paraná, vive um surto da doença. Até o momento, não há registros da doença no Paraná e em Curitiba.

O alerta da Secretaria de Saúde é direcionado principalmente aos adolescentes e adultos, uma vez que as crianças têm um índice de cobertura da vacina no município superior a 98%.

De acordo com o diretor do Centro de Epidemiologia da SMS, Alcides Oliveira, antes de 2006, o calendário nacional de vacinação previa apenas uma dose de imunização contra a doença, sem dose de reforço, ao contrário do que é estipulado hoje.

“Quem nasceu antes desta data, portanto, precisa verificar qual é a sua situação vacinal e, dependendo da idade, procurar uma unidade de saúde e atualizar a carteira de vacinação”, aconselha Oliveira.   

Esquema Vacinal

A vacina é a única maneira efetiva de prevenir a doença – neste link é possível acessar o calendário nacional de vacinação completo.

O esquema vacinal vigente para a doença prevê duas doses de vacina com o componente sarampo, sendo uma dose da vacina tríplice viral (que protege contra sarampo, caxumba e rubéola) aos 12 meses de idade, e uma dose da vacina tetra viral aos 15 meses de idade (que protege contra sarampo, caxumba, rubéola e varicela).

Quem não completou este esquema vacinal quando era criança, precisa atualizar a carteira de vacinação. Adolescentes e adultos, entre 10 a 29 anos, precisam ter tomado durante a vida duas doses de tríplice viral (ou uma da tríplice e outra da tetra). Adultos, dos 30 aos 49 anos, precisam ter tomado, ao menos, uma dose da tríplice viral durante a vida.

“Quem já tomou duas doses da vacina em algum momento da vida está imunizado”, explica Oliveira. 

A vacina não é indicada para crianças menores de 6 meses, gestantes, pacientes imunodeprimidos ou com reação alérgica grave (anafilaxia), após dose prévia ou após contato com as substâncias que compõem a vacina.

Oliveira lembra que quem tem dúvidas a respeito de sua situação vacinal pode consultar o aplicativo Saúde Já Curitiba, que traz a carteira vacinação virtual dos usuários do SUS Curitibano. O aplicativo Saúde Já pode ser instalado gratuitamente em smartphones ou tablets, basta baixá-lo na App Store (aparelhos com sistema iOS) ou na Play Store (aparelhos com sistema Android). O acesso também pode ser feito via internet, na página saudeja.curitiba.pr.gov.br. “Se a dúvida persistir, procure uma unidade de saúde”, diz Oliveira.o

Sintomas

Além de alertar para o reforço da vacinação, presente em 110 unidades de saúde, a SMS reforçou a vigilância epidemiológica e o monitoramento em relação à doença junto aos profissionais de saúde.

A transmissão do sarampo ocorre de forma direta e rápida, por meio de secreções expelidas ao tossir, espirrar, falar ou respirar. As partículas virais ficam suspensas no ar. Por isso, o elevado o poder de contágio da doença.

Os primeiros sintomas do sarampo são febre alta, tosse, coriza e conjuntivite, seguidos de exantema – que são as manchas avermelhadas pelo corpo. A orientação, nestes casos, é procurar o serviço de saúde.

Fonte: Prefeitura Municipal de Curitiba

Vacina anti-sarampo
Compartilhe esta notícia: