Beneficiários do ICS participam de palestra sobre doenças crônicas e alimentação

Palestra sobre doenças crônicas e de alimentação do programa de prevenção para beneficiários do ICS. Curitiba, 27/08/2019. Foto: Levy Ferreira/SMCS

A servidora Sindi Angélica Abady, de 38 anos, foi uma das participantes da palestra que o médico Alan Christian Niemies e a nutricionista Richelle Gonçalves fizeram aos beneficiários do Instituto Curitiba de Saúde (ICS), nesta quarta-feira (28/8), no auditório do instituto, no Rebouças. Ela fez questão de anotar o que ouviu.

“Quero ter os argumentos para convencer meu marido a participar do Prevencor. Ele tem diabetes, já foi convidado pelo programa, pois tem mais de 45 anos, mas ainda não quis. Anotei porque quero falar para ele dos riscos da doença”, contou ela, que é professora da rede municipal de ensino. O Prevencor é uma iniciativa do Núcleo de Atenção à Saúde (NAS) do ICS, o plano de saúde dos servidores.

“O diabetes é uma doença séria”, declarou ela depois de ouvir Niemies, médico de referência do programa que identifica doenças crônicas, como hipertensão, diabetes, dislipidemia (elevação do colesterol ou de triglicerídios) e faz os encaminhamentos para o tratamento.

Trio de erros

As características destas doenças e os cuidados com a alimentação foram alguns dos assuntos abordados pelo médico. Para facilitar o entendimento dos participantes, Niemies definiu o que chamou de trio de erros para o diabetes.

“Excesso de peso, sedentarismo e alimentação inadequada são hábitos de vida que podem levar a doenças”, destacou o médico.

“Mas o diabetes é uma doença que pode ser controlada com mudança de comportamento. Quem tem pré-diabetes, pode até curar, fazer a doença regredir. Já o diabetes não tem cura”, assegurou.

O clínico explicou ainda por que a pessoa deve tratar a doença com mudanças de comportamentos, acompanhamento médico e medicamentos. “Há 12 milhões de brasileiros afetados pela doença, que acontece devagar, o corpo vai se adaptando, mas tem consequências graves. Uma das principais complicações é a possibilidade de afetar a visão. O diabetes é a principal causa de morte cardiovascular”, enfatizou.

Açúcar não

A nutricionista Richelle Gonçalves falou da importância de quem tem diabetes não consumir açúcar. Ela chamou atenção para os alimentos light, que têm açúcar, e indicou os diet, que são recomendados para os diabéticos.

Ao falar do colesterol, Richelle sugeriu que, ao se alimentar, as pessoas evitem combinações de carboidratos. Entre os exemplos que devem ser evitados estão o arroz combinado com batata na mesma refeição, o arroz com farofa, polenta com arroz, arroz com macarrão. Ela sugeriu ainda a substituição dos alimentos refinados pelos integrais, que têm maior teor de fibra, fazem com que a pessoa se sinta mais saciada, e não causam picos de glicemia.

Richelle destacou as frutas que têm alto teor glicêmico, como o abacaxi, a manga, a melancia e a banana. Entre os vegetais, ela apontou a batata, a beterraba e a cenoura. “Podem abusar das folhas, pepino, tomate. Quanto aos tubérculos, como o inhame, é preciso ter cuidado com os excessos”, recomendou.

“Achem tempo”

Niemies recomenda que os pacientes façam um planejamento das mudanças que precisam fazer. Além da dieta com menos calorias, e da perda de peso, ele sugeriu a prática de exercícios.

“O mínimo para não ser sedentário é fazer duas horas e meia de exercícios por semana, o mesmo que 30 minutos por dia, cinco dias por semana. É preciso achar tempo”, enfatizou Niemes.

Ele recomendou que cada um faça um plano de ação claro por períodos curtos. “Pode ser um planejamento para uma semana. Estabeleçam o dia do exercício, decidam a mudança que vão fazer na hora de preparar os alimentos ou fazer escolhas no mercado. Reduzam os alimentos processados, industrializados, troquem o refrigerante pelo suco de limão. Com o tempo, o corpo, o cérebro vão se acostumar com as mudanças”, afirmou.

No fim da palestra, o servidor aposentado Sebastião Paulo da Rosa, de 59 anos, disse que o bate-papo foi esclarecedor. “Nós sabemos que é difícil fazer mudanças”, declarou. Sebastião fez exames recentemente e houve alteração nos resultados. “Eu fazia caminhada, parei. Vou ter que voltar”, concluiu.

A servidora Angela Maria de Oliveira Silva, de 54 anos, tem diabetes há 12 anos, toma insulina e diz que costuma falar com as pessoas que conhece sobre a doença. Ela considerou importante participar de palestras como esta.

Prevencor

O Prevencor é destinado aos beneficiários do ICS que têm a partir de 45 anos. No mês do aniversário, o ICS entra em contato para que os pacientes façam os exames para o rastreamento de doenças que muitas vezes não têm sintomas. Estes exames não têm co-participação, pois são feitos num laboratório parceiro do programa.

Os beneficiários também podem procurar diretamente uma das unidades do laboratório A+, no mês do seu aniversário, pois os exames são liberados automaticamente.

Os pacientes com exames alterados são encaminhados para o tratamento adequado.

Fotos:

Fonte: Prefeitura Municipal de Curitiba

Prevencor
Compartilhe esta notícia: